segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Como foi o 25º Prêmio Ângelo Agostini

A festa no Sesc Vila Nova em São Paulo começou às 13h com a exibição do primeiro desenho animado brasileiro em longa-metragem, Sinfonia Amazônica, seguida de palestra do professor Álvaro de Moya sobre o filme.

Cheguei por lá às 15h, a tempo de assistir outra palestra, esta do professor Antonio Luiz Cagnin sobre a vida e obra do pioneiro dos quadrinhos brasileiros, Ângelo Agostini. Uma verdadeira aula!

Em seguida, vários parceiros do evento apresentaram seus projetos, como o editor da Revista Mundo dos Super-Heróis, Manoel de Souza, o Alex Mir da revista Tempestade Cerebral e o pessoal da ACQ - Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo.

Manoel de Souza

Um dos pontos alto da entrega do troféu Ângelo Agostini foi a presença da Tianinha, personagem de Laudo Ferreira que completa nove anos ininterruptos de publicação. Laudo, um dos vencedores deste ano, recebeu o prêmio das mãos de sua provocante criação. Como a maioria da platéia era formada pelo público masculino, vocês podem imaginar o que virou aquele auditório!

Laudo Ferreira e Tianinha

Outro destaque vai para o discurso do Márcio Baraldi, outro premiado. Baraldi é autêntico, espontâneo, uma grande figura! E é sempre bom ouvir uns conselhos de um profissional consagrado para os novos artistas. Quanto mais conheço o Baraldi, mais o admiro como pessoa e quadrinhista.

Márcio Baraldi

Para finalizar, um café com o pessoal que faz a Mundo dos Super-Heróis na lanchonete em frente ao Sesc. É sempre bom rever os amigos e jogar um bom papo nerd fora...

Fransérgio, Maurício Muniz, eu, André Morelli, Manoel de Souza, (passo), Gabriela Franco, Daiane (Banca de Quadrinhos), Társis Salvatore e Sofia (agachados)

Confira a relação dos premiados desta edição do Ângelo Agostini:

Melhor Desenhista – Laudo Ferreira JúniorMelhor Roteirista – Daniel Esteves
Melhor Cartunista – Marcio Baraldi
Melhor Lançamento – Menina Infinito (Editora Desiderata)
Melhor Fanzine – Quadrinhos Independentes (Edgard Guimarães)
Troféu Jayme Cortez – Coletivo Quarto Mundo
Mestres do Quadrinho Nacional - Emir Ribeiro, Deodato Filho, Mozart Couto, Sebastião Seabra, Sergio Morettini e Watson Portela

6 comentários:

Jota Silvestre disse...

Caraca! Eu mal acabei de postar e a nota já recebeu um Bullshit!

Marcio disse...

Never Mind the Bollocks!!!nao ligue para os escrotos,tioooooo!!!!
Foi Lindjoooooo!!!
Pena que a Tianinha nao deu mole pra noisssssssssssssssss!!!!!
Abracao!

TSalvatore disse...

Jota, eu já te disse. O "bullshitômetro" é o medidor de coitadisse, deixe os perdedores fazerem sua parte, afinal eles precisam fazer alguma coisa na vida.

Foi bem legal a cerimônia de premiação e o discurso do Baraldi, sensacional!

Em tempo: minha filha leu a o livro "Vale Tudo" no mesmo dia.

Abs!

Marcio disse...

U-RUUUUUUUUUUUUUU!!!

Sandro disse...

Emir Ribeiro, a lenda.

Anônimo disse...

Coletivo Quarto Mundo faz um trampo ousado. Tem muita porcaria ali, lógico, mas tem muita coisa legal e a tendência são os moleques melhorarem o trampo.