domingo, 24 de maio de 2009

Desenho do Batman homenageia seriado dos anos 60



The Brave and The Bold, nova animação do Homem-Morcego, vem surpreendendo cada vez mais.

Não é só a temática e o estilo que lembram um período nostálgico – que muita gente confunde com “infantil” – mas também o resgate de personagens daquele tempo, como Kamandi, Tigre de Bronze e Despero, só para citar algumas aparições.

O episódio 18, The Color of Revenge, exibido nos Estados Unidos na última sexta-feira (22), foi além e fez uma homenagem ao clássico seriado de TV estrelado por Adam West e Burt Ward.

No teaser, sequência de abertura que antecede a história principal, aparecem vários elementos daquele programa: o telefone vermelho, o busto de Shakespeare que abre a passagem secreta atrás da estante de livros, a escalada pela parede e o golpe em que Batman arremessa o menino prodígio contra o vilão. Até o estilo em que Robin é desenhado lembra o traço de Bob Kane (confira no clipe abaixo).

Só o Batmóvel ficou um pouco deslocado. Não sei por que, em vez de os produtores utilizarem o famoso Lincoln Futura da época optaram por um modelo mais antigo, o Chrysler 300C com asa na traseira e face de morcego do final dos anos 50. Talvez haja algum problema de direito autoral envolvido.

O vilão da vez também é um obscuro adversário de Batman criado nos anos 40: Crazy Quilt (se alguém souber o nome que ele recebeu no Brasil, me avise, please).

Resumindo: diversão garantida para os fãs do Homem-Morcego de todas as idades.

video

18 comentários:

Adrian Veidt disse...

Nostalgia é coisa de gente problemática, Jota. De gente infeliz. O seriado do Batman é ótimo porque incorpora o que de melhor do passado com vista para o século XXI.

É uma mistura de respeito ao melhor do que foi feito com o que de melhor pode ser feito. É nota 10!
Flw

Jota Silvestre disse...

Adrian Veidt.

Gostei do pseudônimo e de sua definição: "incorpora o que de melhor do passado com vista para o século XXI". Parabéns!

De fato, nostalgia se tornou uma palavra complicada. Eu ainda tento usá-la no sentido positivo.

Esse desenho realmente é nota 10.

Abs!

Anônimo disse...

Crazy Quilt é Remendo Maluco.
http://hqmaniacs.uol.com.br/principal.asp?acao=noticias&cod_noticia=20487

Jota Silvestre disse...

Putz, nunca tinha ouvido falar. Obrigado pela ajuda e pelo link.

Abs!

Ricardo Quartim disse...

IRADO! Não só a música de abertura como também a trihla sonora incidental que surge logo no início ao aparecer a Mansão Wayne na tela antes de Bruce Wayne atender o telefone são iguais ao do seriado sessentista!!!!

Jota Silvestre disse...

Bem observado, Ricardo!

Laudo disse...

Olá, Jota.

Bacana essa nota. Nunca vi esse desenho, estou "desatualizado". Ele vem passando na Cartoon?

Vale deixar aqui também, que nessa versão, a dupla dinâmica ao escalar as paredes do local, ao contrário do seriado dos anos 60, quem vai na frente é o morcegão!
Corrigindo "estranhas conotações".

Anthony disse...

Jota, dei uma pesquisada e encontrei o nome em Português para Crazy Quilt: era o Roupa Maluca...

Anthony disse...

Jota, dei uma pesquisada e encontrei o nome em Português para Crazy Quilt: era o Roupa Maluca...

Jota Silvestre disse...

Fala, Laudo! Olha, eu li em algum lugar que ia estrear no Cartoon aqui no Brasil, mas não encontrei nada no site deles. Nos States é no Cartoon que passa. Vc encontra vários eps disponíveis no Youtube. Pode conferir que vale a pena.

E muito bem observada a "ordem" da Dupla Dinâmica na parede de escalada... hehehe

Abs!

Jota Silvestre disse...

Valeu pela pesquisa, Anthony. Pode reparar que o Anônimo deixou um comentário acima com um nome um pouco diferente d que vc encontrou. Esse personagem chegou a sair em alguma HQ por aqui? Alguém sabe?

Anônimo disse...

Não sabia que "nostalgia" era uma palavra complicada, tampouco que é coisa de gente complicada. aiai... a cultura internética...

Jota Silvestre disse...

Olha, Anônimo, pelo menos no meio dos quadrinhos, que eu acompanho mais de perto, virou uma palavra complicada.

De uma hora para outra, parece que se criou uma dicotomia entre nostálgico e moderno, como se fossem coisas excludentes.

Pessoalmente, não compactuo com essa visão e acho que este desenho do Batman é a maior prova de que dá para ser nostálgico e moderno ao mesmo tempo, com ótimo resultado.

Abs!

Társis Salvatore disse...

Fecho com o Jota. Não vejo problema em gostar de antiguidades - o problema é gostar só delas. Afinal, até o câncer evolui.

Esse desenho do Batman já está passando no Brasil e é imperdível, exatamente porque mistura o novo ao velho, de forma equilibrada e inteligente. Agrada adultos e crianças (grandes, como eu). Minha filha de 9 anos vê o desenho comigo, com gosto e ela nem conhece a mitologia da DC.

É impressão minha ou a DC ainda está um passo a frente da Marvel em se tratando de animações?

Abs!

Felipe Maretta disse...

Na verdade Tarsis, pela performance dos desenhos da DC que temos visto nos últimos anos ela se dá melhor nessa mídia do que nos Cinemas...Eu mesmo sou tão fã que decidir fazer sesse estilo(o dos desenhos anteriores - Batman, Superman e LJU) o meu atual...e provavelmente o definitivo...nossa! de longe o mais leve e completo estilo de desenhar!!!
O mais legal foi que praticamente TODO o universo DC esté nestes desenhos desde a LJU...muito bacana mesmo!!!!

Dirceu disse...

MUITO BACANA! Esse desenho tem me surpreendido positivamente - cada detalhe, as várias homenagens, a mescla de personagens antigos com mais recentes... empolgante!
- aliás, a DC tem feito um excelente trabalho com as animações, tanto estas pra TV quanto às que têm saído em DVD - assisti e re-assisti A Nova Fronteira essa semana e achei fantástico (isso sem falar nos extras muito bons.

Jota Silvestre disse...

Verdade, Dirceu. Muita gente torceu o nariz para este desenho antes da estreia. Ele vem melhorando a cada dia. O episódio contra o Sindicato do Crime é fascinante.

Abs

julio de castro disse...

alguma coisa boa nessedesenho me lembra johnny quest e contemporâneos.

essa série é sensacional.