segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Vale o Investimento: Tex em Cores – O Totem Misterioso.

Nunca fui muito fã de quadrinhos de faroeste. Li alguma coisa de Tenente Blueberry, um pouco mais de Jonah Hex e quase nada de Tex.

Motivado pelas recentes notícias da vinda de Fabio Civitelli ao Brasil, decidi tirar o atraso e, num golpe de sorte, encontrei numa banca de jornais o primeiro número de Tex em Cores, O Totem Misterioso, lançado há exato um ano.

A revista é ideal para principiantes como eu. Reproduz as primeiras histórias do cowboy na ordem em que foram publicadas, a partir de 1948. A arte de Aurelio Galleppini é de encher os olhos e Gian Luigi Bonelli sabia como prender o leitor.

Suas tramas vão se intercalando e sucedendo naturalmente, sem rupturas, expondo o pistoleiro de caráter inquestionável a toda sorte de ameaças. Considerando as condições em que eram produzidas, é de se esperar que de vez em o roteiro ofereça alguma solução pouco original.

Nas primeiras histórias, em mais de uma oportunidade, Tex é subjugado pelos vilões e estes, em vez de meterem uma bala na sua cabeça, inventam armadilhas no melhor estilo do seriado sessentista do Batman.

Engraçado também é reparar o quanto a mira de Tex é sempre certeira, enquanto a de seus inimigos raramente o é. Mas em relação a isto, Bonelli se redime na história Um Contra Vinte, em que o pistoleiro enfrenta mais de vinte homens armados e acaba bastante ferido.

O material, publicado originalmente em formato de tiras com três quadros, foi totalmente colorizado pela Editora Bonelli em 2007. Em texto do próprio Sergio Bonelli – filho de Gian Luigi e hoje dono da editora – ele afirma que fez questão de manter a arte o mais próximo possível do original, inclusive os cachorrinhos e outros bichos que Galleppini desenhava em momentos de descontração para preencher os recordatórios verticais.

A Mythos caprichou na edição. Além da cor e do papel especial, incluiu esta introdução de Bonelli e outra de Julio Schneider sobre a origem e a importância de Tex para os quadrinhos italianos e ocidentais.

Se há um senão neste Tex em Cores 1 é a decisão editorial de manter a publicação com exatas 240 páginas de quadrinhos – o que significa que a última história é interrompida no meio. O leitor, em princípio, não pode reclamar já que o alerta é feito logo na página 4; porém, não deixa de ser decepcionante.

Tex em Cores já está no sexto volume e, parece, mantém a qualidade. O Totem Misterioso tem 252 páginas e preço de R$ 24,90. Vale o investimento e as várias horas de leitura divertida.

2 comentários:

fanbiscuits disse...

Eu tenho e é ótimo!

Noite em Claro disse...

Não sou muito fã de Tex, mesmo assim o desenho nesse hq é muito bom!

Mudando de asunto, no início deste ano, eu pensei em enviar um conto para um livro que estava sendo preparado, Território V.

O livro foi um sucesso, mas, infelizmente, não consegui terminar o
pretendido conto a tempo; afinal de contas, quando se trata de
literatura, e partindo "do nada", prazos são complicadíssimos de se
cumprir.

Porém, decidi tirar esse conto da gaveta e publicá-lo em um blog que
tenho e estava inativo (http://ascronicasnoturnas.blogspot.com/), para
que alguns amigos possam ler e opinar.

O dividirei em partes e as publicarei todos os domingos, pois o conto
original tem 10 páginas e isso é muito para se ler no pc de uma tacada
só.

Gostaria que todos, quando possível, se dispusessem a ler, quando sobrar
tempo ou faltar inspiração, e opinassem, criticassem, sei lá.

De outra maneira, nunca saberei se possuo o que é necessário para me
dedicar a uma "carreira" literária e, afinal de contas, preciso começar
por algum lugar!

Abraços e obrigadíssimo pela atenção.
http://ascronicasnoturnas.blogspot.com/