terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

A vida de Fidel Castro em quadrinhos

Conforme antecipado pelo Papo de Quadrinho, a editora gaúcha 8Inverso confirma para março a biografia em quadrinhos do ditador cubano.

Castro, escrita e desenhada pelo alemão Reinhard Kleist, parte da fictícia viagem de um jornalista à Cuba em 1958 para pesquisar a vida do rebelde Fidel Castro e, de repente, torna-se testemunha ocular da revolução que iria mudar a vida da ilha.

A partir daí, a HQ cobre a vida de Fidel Castro desde a tomada do poder até o recente afastamento por motivos de saúde. Para produzir a obra, Kleist passou um mês em Cuba, em 2008 – o que deu origem a outro livro em quadrinhos, Havana.

Lançada no Brasil apenas cinco meses depois de sair na Alemanha, Castro tem prefácio do jornalista alemão e biógrafo de Fidel Castro, Volker Skierka, também colaborador na pesquisa histórica.

Não li a HQ ainda para fazer qualquer julgamento. Entendo que nem todo autor é Joe Sacco (Palestina, Notas sobre Gaza) e nem todo quadrinho histórico se propõe a fazer jornalismo.

Porém, é comum este tipo de obra romantizar movimentos sociais ao destacar apenas suas benesses e omitir os problemas inerentes a todo regime autoritário – ainda mais o de Cuba, que já dura mais de 50 anos.

Assim que tiver acesso à HQ, Papo de Quadrinho vai publicar uma resenha confirmando ou desmentindo esta primeira impressão.

Castro é o terceiro título do selo 8Inverso Graphics – os outros dois são Johnny Cash – Uma Biografia e Elvis, todos de Reinhard Kleist. O lançamento tem 228 páginas e vai custar R$ 51.

4 comentários:

FRIZERO disse...

Posso garantir que Kleist não seguiu o caminho fácil da louvação ao regime. :) Obrigado pela divulgação!

Jota Silvestre disse...

Prazer ter vc aqui, Robertson. Boa notícia. Fiquei ainda mais ansioso para ler.

Abs e sucesso.

manzanoeduardo disse...

Seja como for a obra tem o serviço de mostrar ao mundo figuras como Hitler, Fidel, Che etc e o perigo que representam à liberdade!

Jota Silvestre disse...

Fala, Edu!

Ainda não li; depois comento.

Abs