segunda-feira, 20 de abril de 2009

Papo de Quadrinho viu: Contos do Cargueiro Negro

A “história dentro da história” de Watchmen ganhou uma animação por ocasião do lançamento do filme e está disponível em DVD e Blu-Ray desde 24 de março.

Com duração de 25 minutos, o desenho tem produção e roteiro co-escrito pelo diretor de Watchmen, Zack Snyder. O personagem principal foi dublado por Gerard Butler, o Leônidas de outra adaptação dos quadrinhos dirigida por Snyder, 300.

Contos do Cargueiro Negro é uma HQ fictícia narrada paralelamente aos eventos de Watchmen. É, ao mesmo tempo, uma homenagem aos quadrinhos clássicos de piratas e terror e uma metáfora da trama principal, em que um homem comete atos hediondos pensando no bem comum.

A história conta a tentativa desesperada de um náufrago para salvar a cidade de Davidstown depois que teve seu navio atacado pelos sanguinários piratas do Cargueiro Negro. Navegando uma balsa construída com os cadáveres de sua tripulação, o capitão enfrenta tubarões, a fome, a solidão e a loucura. Quando finalmente chega a seu destino, descobre dolorosamente que se transformou no próprio horror que pretendia combater e se junta à tripulação maldita do Cargueiro Negro.

O desenho foi produzido de forma competente. O problema é que narrada assim, de uma só tacada, a história perde aquilo que tem de mais impressionante nos quadrinhos: a tensão crescente, a forma como que, homeopaticamente, o leitor vai sendo conduzido para dentro da loucura do capitão de Davidstown.

Na adaptação para a linguagem animada, algumas falas (poderosas) criadas por Alan Moore foram suprimidas, enquanto que algumas sequências, dramatizadas. Claro, faz parte dos ajustes necessários na transição de uma mídia para outra, mas a conclusão é que Contos do Cargueiro Negro funciona muito melhor nos quadrinhos que no desenho animado.

A trilha sonora dos créditos finais é um capítulo à parte: Pirate Jenny (1928), de Bertolt Brecht e Kurt Weill , interpretada por Nina Simone. “(...) And the ship / The black freighter /Disappears out to sea / And On It Is Me”.

2 comentários:

all@nbhrock disse...

pois é Jota..midias diferentes né....mas não creio como fzer melhor do que iss....
Ficou legal!

Jota Silvestre disse...

Nem digo que não tenha ficado legal, Allan. Só acho que faltou aquele climão como acontece nos quadrinhos. Mas ainda é uma boa animação.

Abs!