sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

DC reconta sua origem - de novo!

Quem acompanha os quadrinhos da DC sabe que sua cronologia é uma zona.

Há os heróis originais da década de 40, a reformulação de parte deles – mas não todos – nos anos 50, com novas origens e identidades, o encontro destas duas gerações a partir da história Flash of Two Worlds, em 1961 – que estreou oficialmente o conceito de multiverso -, as aventuras conjuntas da Sociedade e da Liga da Justiça, os numerosos personagens que foram sendo adquiridos pela editora e alocados em outras “Terras” paralelas...

A primeira tentativa de se colocar alguma ordem na casa veio somente em 1985 com a Crise nas Infinitas Terras. Depois disso, cada tentativa de remendo foi deixando a cronologia da DC ainda mais confusa. Basta dar uma folheada na tal Crise Final que vem sendo publicada no Brasil para ver que a minissérie vai de nada a lugar nenhum.

Por este motivo, toda enciclopédia que a editora lança acaba tendo data de validade. A primeira foi em 1985 com Who’s Who – The “Definitive” Directory of DC Universe (as aspas são minhas), uma série em 26 edições organizada em ordem alfabética com fichas, histórico, poderes e armas dos personagens e grupos.

Depois disso vieram várias atualizações do Who’s Who, “guias definitivos” e “origens secretas”. Cada uma delas apresenta a versão vigente dos personagens no período em que foram publicadas. O guia mais atual da DC era de 2004. E, claro, este também está desatualizado.

Tudo isso para dizer que a DC vai fazer uma nova tentativa de explicar seu universo aos confusos leitores. A editora anunciou para o ano que vem a minissérie em sete edições Legacies, escrita por Len Wein e desenhada por diversos artistas.

Cada edição será dividida em duas partes. O primeiro número terá os artistas Joe e Andy Kubert e J.G. Jones. Legacies deve contar a origem do Universo DC (a vigente, claro), desde a Era de Ouro até Contagem Regressiva para Crise Infinita (2005) – o que, me parece, deixa a obra incompleta.

Não é só isso. A DC anunciou, também para 2010, uma nova edição em 12 partes do Who’s Who e uma nova História do Universo DC, provavelmente nos mesmos moldes daquela produzida por Marv Wolfman e George Pérez ao final da Crise nas Infinitas Terras nos anos 80 e lançada pela primeira vez no Brasil recentemente.

Não sei se é o tipo de trabalho que interessa aos leitores. Aos estudiosos, pesquisadores e a quem tem por ofício ou hobby escrever sobre quadrinhos – como a turma da revista Mundo dos Super-Heróis, certamente é um material de referência indispensável.

Tomando sempre o cuidado, claro, de considerar mais estes “guias” como a versão que é – não a que foi, muito menos a que será.

6 comentários:

Ricardo Quartim disse...

A reformulação de 85 com a Crise foi excelente e deveria ter parado aí.. mas depois quando lançaram a Zero Hora,fiquei com raiva e decepcinado. Todas as outras mudanças que vieram depois foram péssimas

Helder. disse...

COncordo com o Ricardo.

Mas o Origens Secretas feitos pelo Alex Ross foram excelentes também.

Jota Silvestre disse...

Não dá para negar que algumas dessas Origens Secretas foram bacanas. Mas não seriam necessárias se a cronologia não mudasse tanto em tão pouco tempo.

Abs!

Poeta disse...

sigh...







(concordo com o Ricardo)

julio de castro disse...

eu realmente não entendo qual o problema da DC. sério.

MARCO disse...

Nem eu Julio...
Santiago